sábado, 12 de novembro de 2016

Tarot Musical #11 - A Força/Lust

Havia fechado as portas por um tempo da casa das névoas, mas penso que é hora de retornar. Mesmo que lentamente, mas devo. Escrever é uma válvula de escape. Me ajuda a entender a mim mesmo, muitas vezes.
E retorno com um tarot musical, que estou com ele em mente faz tempo. Fala do poder feminino em sua forma um tanto erótico-destrutiva. Babalon. Aproveitando a energi de Sol em Escorpião e Lua em Áries.




sábado, 9 de julho de 2016

Essa é a minha opinião

Um jornalista perguntou a Einstein:
- "O senhor poderia me explicar a Lei da Relatividade?"
E Einstein lhe respondeu:
"O senhor pode me explicar como se frita um ovo?"
O jornalista o olhou intrigado e respondeu:
- "Claro que sim, posso".
Ao que Einstein replicou:
- "Bem, então o faça, mas imaginando que eu não saiba o que é um ovo, nem uma frigideira, nem o óleo, nem o fogo..."

  A pessoa pede sua opinião sobre o aborto, sobre liberações de drogas, sobre o impeatchment, sobre o brexit... E você, na maior inocência do mundo, lhe concede sua opinião. A pessoa te olha com cara de desdém, te chama de idiota e corta sua amizade. Essa é a vida no século XXI.

  O que a pessoa não sabe é que ela ignora um pequeno detalhe: Você não formou sua opinião baseada em achismo ou qualquer coisa do tipo (pelo menos não deveria!). Você formou sua opinião lendo diversos livros, vendo vídeos sobre, ouvindo opiniões diversas, conversando com pessoas diversas... Não foi uma ideia conjurada do nada. Foi uma ideia construída com tempo e dedicação de estudo. Uma ideia lapidada ao longo do tempo, que foi se modificando, se ampliando, se melhorando.
  Porém, para a pessoa isso não interessa. Se suas ideias não batem com as ideias dela, você é um imbecil, um idiota útil, um direitista/esquerdista.

terça-feira, 5 de julho de 2016

O que é magia?

  Crowley disse que a magia é a ciência e a arte de provocar mudanças em conformidade com sua vontade. Mas que mudanças? Levitar uma pedra com a força da mente? Pode-se dizer que menos de 1% dos magistas atuais conseguem tal façanha, e explico o porquê.

  Magia, na melhor definição que Alan Moore deu é "A Arte". Magia como uma expressão artística mesmo, como um quadro, uma pintura, uma escultura, uma poesia, um desenho. Só que o objeto artístico é o próprio mago. Em outras palavras, a mudança que a magia provoca é subjetiva, sutil, simples. Nada de bolas de fogo, nada de atravessar paredes.

  Ora, mas não era isso a magia? Não. Isso é feitiçaria. É manipular elementos e leis naturais, alterar o código-fonte do mundo para seu próprio objetivo. Há quem discorde de mim. Há quem diga que essas coisas não são possíveis. Mas eu tenho minhas próprias ideias, e não acho que o mundo seja tão ordeiro como aparenta ser. Existe caos por aí. Existe coisas que nós nem podemos explicar ainda. E por isso chamo essas coisas de feitiçaria. Tais eventos podem ser feitos por um feiticeiro, ou por alguém com uma capacidade psíquica além do comum. Ou talvez um cientista que descobriu algo valioso. Não sei. Há coisas que não sabemos.

  Mas e a magia? E os magos das sociedades secretas, que se reúnem com seu robes negros e seus pentagramas na testa? Esses não são feiticeiros, são magistas, são magos. Esses reproduzem a Arte. Mas não são como pintores, nem escultores, nem desenhistas ou poetas. Sua Arte é diferente, embora seja semelhante a essas coisas.
  Magia é, como Crowley disse, a arte de provocar mudanças com sua vontade. Qualquer mudança. Qualquer. Se eu decido fazer arroz, e faço arroz, eu fiz magia. Se eu decido ir até o parque para apreciar as estrelas à noite, isso é magia. Estou fazendo tais coisas com minha vontade. Fabriquei uma mudança. O arroz cru se tornou cozido, e ganhei a experiência de ver estrelas à noite.
  E embora o leitor ache que tais coisas são banais para serem classificadas como magia (e são!), eu já me adianto para dizer que ele se esquece de um detalhe: do mago.

  Disse acima que o objeto artístico é o próprio mago, não uma coisa externa. Uma pessoa qualquer, que não tenha nenhum conhecimento de magia, pode muito bem cozinhar arroz, mas somente o mago pode fazer isso de maneira artística. Somente ele pode fazer magia com essa prática. Porque ele, acima de tudo, transformou a si mesmo nA Arte.
  Se magia é a arte de causar mudanças, então o mago causa mudanças em si mesmo, e tudo que ele fizer será sagrado, será mágico. Pois tudo que ele fizer será pela Sua Vontade. Nada de vícios, ou hábitos, ou "caminhar por aí distraído". O mago sente cada momento, sente cada sabor, ouve cada som... O mago vê magia em tudo, pois tudo que ele faz é magia. Ele não precisa mais fazer rituais elaborados para entrar em contato com seu SAG, basta pensar nele. Ele não precisa mais tirar cartas do tarô para saber o fluxo de eventos, basta buscar respostas na sua intuição. Ele não precisa mais se sentar em lótus para meditar, basta estar lúcido.

  O mago é o produto final de sua arte, e uma vez que tenha se tornado assim, ele não faz mais magia, pois todo ato que ele sequer faça, é magia.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Manual básico do Psiconauta II - Meditação

Se você chegou até aqui, deve ter vindo através da outra postagem que fiz sobre como ser um psiconauta. Abordo os exercícios mais básicos que todo psiconauta deve saber. E claro, o próximo passo é a meditação profunda.
Esse poderia muito bem ser o primeiro, mas se fosse, certamente que iria desencorajar muitos aspirantes. Meditar pode ser muito tedioso para um praticante que começou há pouco tempo. Sentar, respirar fundo, se concentrar... Poucos são os que conseguem facilmente de início. Por isso coloquei logo os sonhos lúcidos. Mas meditação é o mais importante, é o pilar principal do psiconauta. É por ela que o navegante da psiquê pode aprender mais sobre si mesmo, a controlar seus problemas emocionais e mentais, e a desenvolver capacidades psíquicas afloradas.

Não há um meio correto para se meditar. Basta sentar e se concentrar em algo por um tempo constante. Pode se concentrar na sua respiração, no seu corpo, nos seus pensamentos. O importante é manter o foco no objeto concentrado. Se o psiconauta conseguir se manter assim por um tempo considerável, deve considerar um sucesso. Cinco minutos de começo está bom. Vá prolongando com a prática. Só pratique todos os dias, e anote os resultados em um diário apropriado. O psiconauta descobrirá por si só os benefícios da prática constante.

E para melhorar, deixo um vídeo longo do Timothy Leary, um psiconauta famoso. O vídeo fala por si próprio. Deixe a mente fluir.



quinta-feira, 9 de junho de 2016

RPG: Introdução

Se você clicar, acho que ela aumenta.
  RPG é um hobbie que me acompanha quase minha vida inteira. Hoje tenho 22 anos e jogo desde os 13. São quase dez anos imaginando mundos de magia, lutando contra criaturas das sombras e pilotando naves futuristas. Penso que jamais vou parar de jogar o jogo, até porque para mim não é mais um meio de diversão, mas um estilo de vida.
  Com toda essa experiência com o jogo, inicio aqui uma série de postagens sobre o tema, explorando as possibilidades narrativas e meios de interpretação de personagem. Também vou iniciar aqui os rascunhos do que seria o meu próprio livro de RPG, que disponibilizaria gratuitamente na internet.

  Tenho tanta coisa para dizer, mas nem sei por onde começar... Talvez comece mesmo pelo início, da maneira mais clássica possível, com a definição de RPG. Mas eu nunca li essas definições, sempre pulo essa parte. Até porque não tem como saber o que é RPG na teoria, só quando se joga. É a experiência que vale.
  Então talvez comece apresentando timidamente a ficha que montei para se jogar (essa imagem ao lado)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...